Mãe de dois cadeirantes cobra acessibilidade

Mãe luta pelos direitos dos filhos cadeirantes. Com dificuldades de locomoção, os filhos de Maria dos Remédios quase não saem de casa, a não ser para atividades essenciais.

Por lei, todas as ruas que possuem moradores com dificuldades de locomoção no Piauí devem contar com pavimentação asfáltica. Essa não é a realidade encontrada na Vila Mandacaru, na zona Leste de Teresina. Na Rua Dois, a dona de casa Maria dos Remédios Peres enfrenta uma série de dificuldades para realizar atividades diárias com os dois filhos cadeirantes, Antônio e Germana. Por conta da falta de acessibilidade no bairro, os dois praticamente não saem de casa, a não ser para atividades essenciais, como consultas médicas.

“Têm duas cadeiras de rodas, mas a gente não pode dar uma voltinha com eles pelas ruas. Eles têm vontade de andar, passear, mas com essa situação fica difícil”, desabafa Maria dos Remédios, ao contar as dificuldades diárias enfrentadas pela falta de pavimentação da rua.

Mãe acredita que asfalto iria melhorar a qualidade de vida dos seus filhos

Com o asfalto implantado na Vila Mandacaru, a dona de casa acredita que a qualidade de vida dos seus dois filhos pode melhorar consideravelmente, já que eles poderiam passar mais tempo fazendo atividades fora de casa, como passear pelas ruas do bairro e interagir melhor com a comunidade. Enquanto isso não acontece, a única alternativa é contar com a solidariedade de parentes e amigos, que, de vez em quando, disponibilizam seus veículos para a família.

“A cadeira de rodas não anda nesse calçamento. Se colocassem o asfalto, ia melhorar muito a vida deles pelo simples fato de poder sair para passear mais vezes. Eles gostam muito de sair para passear, mas infelizmente a gente não pode levar”, pontua a mãe dos cadeirantes.

A mãe Maria dos Remédios afirma que, por diversas vezes, já cobrou a implantação do asfalto na rua, mas nunca obteve uma resposta concreta. “Já procuramos a Associação de Moradores, políticos, pessoas da Prefeitura. Apenas prometem, mas nunca colocaram o asfalto”, declara.

O que diz a administração local

Procurada pela reportagem, a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Semduh), por meio da Coordenação de Asfalto, informou que segue uma programação financeira e estratégica para dar continuidade às obras de asfaltamento em toda a cidade. Para isso, é seguido um planejamento baseado nas demandas de Orçamento Popular, Emenda Parlamentar e vias indicadas pelo Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência (Conade). De acordo com a Semduh, atualmente, para vias onde residem pessoas com dificuldade de mobilidade, a Prefeitura investe mais de R$ 2,8 milhões em pavimentação por toda a cidade.

Ainda de acordo com a secretaria, o trecho da Vila Mandacaru não faz parte da programação de 2016, mas pode ser incluído através de Orçamento Popular. Os moradores podem procurar solicitar a execução da obra explicitando os argumentos supracitados.

Fonte: Natanael Souza – Jornal O DIA — Edição: Virgiane Passos — Foto: Assis Fernandes / O Dia

Nossa Opinião:

A acessibilidade deveria ser prioridade em todas as administrações. E veja que aqui uma mãe está cobrando asfalto na rua. Na verdade a administração pública têm que fazer é calçada acessível. Não se pode admitir que os cadeirantes tenham que andar no meio da rua.

Por tudo isso, seu apoio é de suma importância para obtermos mais respeito na sociedade. Deixe aqui seu e-mail e saiba das próximas atividades em favor das pessoas com deficiência.

Depois, por favor, role a página até embaixo onde fica nosso formulário e deixe também a sua opinião. Saiba que ela é muito importante! Conto com você.

Junte-se a nós!

Deixe seu e-mail e receba vídeos e dicas imperdíveis para você ter qualidade de vida!>

O que você achou? Deixe seu comentário: