Pessoa com deficiência

Conforme o site da ONU, cerca de 10% da população mundial vivem com uma deficiência.

Uma ou mais deficiências pode(m) estar presente(s) desde o nascimento, ou ocorrer(em) ao longo da vida de uma pessoa.

Deficiência não é sinônimo de doença

Alguém é identificado como uma pessoa com deficiência, se possuir impedimentos física, mental, intelectual ou sensorial de longo prazo, que dificulta sua participação na sociedade de maneira efetiva e com iguais condições das outras pessoas.

Diferente do que muitos pensam, uma pessoa com este tipo de impedimento não é defeituosa, menos importante ou menos capaz do que uma pessoa com outro tipo de impedimento. Também não é inferior às pessoas sem qualquer tipo de impedimento.

A deficiência de uma pessoa deve ser encarada como uma característica pessoal, como é a altura, o peso de uma pessoa, se tem muito ou pouco cabelo, dentre outras, não como algo defeituoso.

Pessoas com deficiência são cidadãos que merecem respeito

A pessoa com deficiência é uma pessoa normal como outras da sua cidade, família, escola, trabalho, igreja etc.

São pessoas que lutam bastante pelos seus direitos, querem ser respeitadas, tratadas de forma digna, querem alcançar um nível de autonomia pessoal, e participar da sociedade como qualquer outra pessoa.

Possuem características e escolhas pessoais, como por exemplo, a profissão que exercem, o time de futebol que torcem, a religião que acompanham, o estilo de se vestir e arrumar etc.

A deficiência não aumenta ou diminui os direitos, a responsabilidade civil e criminal (salvos em alguns casos de deficiência intelectual) da pessoa com deficiência, em relação aos demais cidadãos.

Não existem motivos para diminuir os direitos e oportunidades da pessoa com deficiência, prejudicando assim a vida dela.

Expressões desrespeitosas

Os termos “pessoa com deficiência“, “cego” e “surdo” são termos mundialmente aceitos e usados como maneira respeitosa de tratamento.

Portanto, evite usar termos pejorativos como:

  • Deficiente;
  • Defeituoso;
  • Portador de deficiência;
  • Pessoa com necessidades especiais;
  • Portador de necessidades especiais;
  • Aleijado;
  • Inválido;
  • Excepcional;
  • Incapaz ou
  • Outros.

Alguns tipos de deficiência

  • Deficiência Física;
  • Deficiência Auditiva;
  • Deficiência Visual;
  • Deficiência Surdocega;
  • Deficiência Intelectual e Mental;
  • Outras;

Alguns fatores que podem provocar deficiência ao longo da vida

  • Violência (assalto, agressão, etc);
  • Doença;
  • Acidente de carro;
  • Acidente de moto;
  • Acidente de trabalho;
  • Acidentes aquáticos (cachoeira, rio, mar, piscina, etc);
  • Erro médico;
  • Outros.

Toni Vaz é uma pessoa com deficiência

Já fui denominado paralítico, paraplégico, pessoa com necessidades especiais, PCD, PNE…

Foram tantas as nomenclaturas que quase tive uma crise de identidade.

Particularmente não aceito ser chamado por uma sigla, e também não gosto do termo “pessoa com necessidades especiais”.

Ora, ao dizer que minhas necessidades são especiais, já me colocaram um estigma.

Dá aquela velha impressão: esse cara vai nos dar trabalho. Não, minhas necessidades são as mesmas das demais pessoas. Apenas preciso das mesmas condições que são dadas a elas.

A pessoa sem deficiência não é mais poderosa nem mais ágil do que nós. Apenas recebe adaptações em todos os lugares por onde passam. Simples assim.

Para pacificar essa questão sobre como se referir a alguém que tenha uma deficiência física, a ONU entrou na parada e ficou definido que o menos agressivo, o mais natural é dizer: pessoa com deficiência. E ponto.

Sem preconceito. Sem estigma. Sem constrangimento.