Pessoas com deficiência podem namorar?

Pessoas com deficiência podem namorar? Por incrível que possa parecer, ainda hoje há várias pessoas fazendo esta pergunta. É um pensamento típico de uma visão totalmente distorcida em relação à pessoa com deficiência.

Somos gente de carne e osso, portanto com todas as emoções para sentir e, sim, para oferecer. Podemos dar amor como qualquer outra pessoa. Quiçá ainda mais.

Para entrar em todo e qualquer relacionamento, você precisa estar aberto ao novo e completamente livre de preconceitos e tabus.

Isso vale não apenas para quem deseja namorar uma pessoa com deficiência, mas para qualquer novo relacionamento, seja de namoro ou de amizade. É assim que funciona.

Mas quando uma pessoa faz uma pergunta desse nível, sinceramente eu me sinto um verdadeiro Extra Terrestre, uma aberração, algo tão diferente como se nem mesmo humano em fosse. Este é o tipo de reação que o preconceito nos provoca.

Pessoas com deficiência podem amar, não são Extras Terrestres

Como lidar com alguém que já te olha como se você não fosse um semelhante? Pra mim é praticamente impossível. Aliás, é impossível mesmo, pois não aceito nem em sonho ser tratado como diferente.

São pessoa completamente alheias não apenas ao seu semelhante, mas a si mesmo, pois se esquecem de que de um minuto para outro também poder vir a ter uma deficiência física. Simples assim.

Ora, se pode acontecer comigo, por que vou tratar o outro como um E.T.? Essa tinha que ser a lógica. Mas há pessoas que são muito rasas em suas análises de vida. Se é que analisam qualquer coisa nessa vida.

Pessoas com deficiência podem namorar (e muito)

Pessoas com deficiência podem namorar 4

Eu sempre fui deficiente físico. Tive pólio aos 6 meses de idade. Nunca andei. Mas isso nunca me impediu de namorar (e muito). Confesso que no início não foi muito fácil, pois a gente cresce nesse universo que faz este tipo de pergunta: pessoas com deficiência podem namorar? Então é preciso muito força interior para provar para você mesmo que, sim, você é alguém capaz de fazer outro alguém feliz.

A segunda dificuldade é encontrar uma namorada que também esteja disposta a passar por cima de todos esses preconceitos das pessoas que a cercam, a começar de sua própria família.

Mas depois da primeira namorada, ganhei mais confiança em mim mesmo. Conheci, ao longo da vida, várias e várias mulheres maravilhosas que se envolveram comigo. São pessoas que te olham como gente e não como algo, como uma coisa, como um ser de fora deste planeta.

Para quem ainda pergunta se pessoas com deficiência podem namorar, dê uma olhada nas paralimpíadas, que se iniciam no Rio de Janeiro daqui a uma semana. Você vai ver que a maioria dos atletas paralímpicos têm namoradas, esposas, maridos, filhos.

Outra pergunta pra lá de idiota é: a mulher dele também é deficiente?

Essa pergunta é ainda pior do que aquela que deseja saber se pessoas com deficiência podem namorar. Trata-nos um grupo separado da humanidade. Como uma espécie de animais que só se relacionam com a mesma espécie. E, portanto, como se não pertencêssemos à espécie humana.

Então, respondendo a quem ainda tem alguma dúvida: sim, pessoas com deficiência podem namorar, podem se casar, podem ter filhos, podem trabalhar, podem se divorciar, podem se casar de novo, podem fazer bagunça, podem roubar, podem ser presas e condenadas, podem exatamente tudo que qualquer pessoa pode fazer. Simplesmente por uma única coisinha: somos seres humanos iguaizinhos a todos os outros. Ponto.

O que você achou? Deixe seu comentário: