Programa desenvolvido em Floripa garante transporte gratuito a cadeirantes

Facilitar a locomoção do cadeirante que mora em locais de difícil acesso e o levar ao seu destino para atividades relacionadas à saúde, educação e ao trabalho, é a missão do projeto Porta a Porta. A iniciativa, que é uma parceria entre Prefeitura de Florianópolis e Associação Florianopolitana de Deficientes Físicos (Aflodef), já atendeu nos primeiros dois meses de funcionamento 64 pessoas.

Iniciado em dezembro de 2017 o programa conta com 7 veículos adaptados e de acordo com o presidente da Aflodef, José Roberto Leal, a prioridade é atender os cadeirantes de famílias carentes. Para ter acesso é preciso fazer um cadastro junto à Associação e solicitar o transporte um dia antes da atividade ser realizada.

Mudança de vida para os cadeirantes

O prefeito Gean Loureiro destaca que o programa está mudando a realidade dos cadeirantes como de suas famílias, pois possibilita a autonomia e à inclusão social. “Temos muito carinho pelo Porta a Porta e vamos melhorá-lo ainda mais conforme a demanda surgir”.

Nesta temporada, a administração municipal implantou estruturas específicas de acesso, com esteiras e decks, em 8 praias: Jurerê Internacional, Ingleses, Ponta das Canas, Barra da Lagoa, Joaquina, Campeche, Lagoa do Peri e Armação. Também está prevista para daqui a dois meses a aquisição de uma ambulância adaptada para o transporte de idosos, em casos de emergências médicas.

De acordo com a Aflodef, 15% da população de Florianópolis têm alguma limitação de locomoção e grande parte dessas pessoas mora em comunidades carentes, normalmente com ruas de complexa passagem. “Estamos muito felizes com o resultado positivo do projeto, as famílias se sentem integradas à sociedade”, finaliza Leal.

Vem mais melhorias por aí

Além do Porta a Porta, a Prefeitura implantou o Rotas Acessíveis, que prevê melhorias nas condições de acessibilidade, através da pavimentação requalificada, rampas com inclinações suaves e maior espaço de circulação.

Fonte: Secretaria de Comunicação da Prefeitura da Capital e jornal deolhonailha.com.br

O que você achou? Deixe seu comentário: